Um dos aspectos da vida de Jesus que mais tem assombrado os homens tem sido Sua absoluta santidade e impecabilidade. A Bíblia afirma repetidas vezes que Jesus é santo. Em Hebreus 7:26-27, diz:
“Com efeito, nos convinha um sumo sacerdote como este, santo, inculpável, sem mácula, separado dos pecadores e feito mais alto do que os céus,que não tem necessidade, como os sumos sacerdotes, de oferecer todos os dias sacrifícios, primeiro, por seus próprios pecados, depois, pelos do povo; porque fez isto uma vez por todas, quando a si mesmo se ofereceu” (Hebreus 7.26–27).
O argumento do escritor sagrado é enfático. os sacerdotes terrenos tinham que oferecer sacrifícios a favor de si mesmos antes de fazê-lo pelo povo. Jesus, sendo santo, inocente e sem mancha, pode oferecer-se a si mesmo uma vez por todas pelos pecados de sue povo. 
O mesmo escritor enfatiza a impecabilidade de Cristo, dizendo:
“Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado” (Hebreus 4.15).
Do mesmo modo o apóstolo João escreveu: Del mismo modo el apóstol Juan escribió: “Sabeis também que ele se manifestou para tirar os pecados, e nele não existe pecado” (1João 3.5)
Durante Seu ministério terreno, Jesus desafiou os líderes religiosos dizendo-lhes: “Quem dentre vós me convence de pecado? Se vos digo a verdade, por que razão não me credes?” (João 8.46). Até mesmo os demônios reconheceram que Jesus era o “Santo de Deus” (Marcos 1:24).
O apóstolo Paulo afirma que “Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele fôssemos feitos justiça de Deus” (2Coríntios 5.21). Só um Cristo impecável poderia oferecer-se a Si mesmo como expiação pelos homens pecadores. Assim como o cordeiro pascal tinha que ser absolutamente santos e sem mancha (1Pedro 1:18-20; 2:22)
O apóstolo João, referindo-se à visão do profeta Isaías (6:1-3), afirma que Aquele de quem os serafins falaram, dizendo “Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos”, era nada menos que o próprio Senhor Jesus Cristo. João disse “Isto disse Isaías porque viu a glória dele e falou a seu respeito” (João 12.41). Em resumo, o testemunho das Escrituras é enfático. Cristo foi e segue sendo impecável (Hebreus 13:8). Sua santidade é inquestionável. Tal características é uma demonstração de que Jesus é uma Pessoa Divina.
E. L. Carballosa
La deidad de Cristo
Tradução: Cinco Solas