A SARÇA ARDENTE

Texto – Tema: Êxodo. 3 e 4;

Os três períodos na vida de Moises na escola de Deus. 1) Viveu 40 anos no Egito aprendendo toda ciência e cultura e se tornou um poliglota e um cientista; 2) Viveu 40 anos na casa de seu sogro Jetro cuidando de seu rebanho e virou pastor de ovelhas, casou – se e constituiu uma família e esqueceu de tudo que tinha aprendido no Egito e disse a Deus que não sabia falar; 3) Libertou o povo do Egito e viveu 40 anos no deserto sofrendo com a incredulidade e a rebeldia do povo e sendo alvo de sedições e conspirações, mas maravilhas aconteceram no seu ministério até levar o povo para a terra prometida.
Quando Moises se encontrou com o Senhor no deserto Deus fez uma exigência primordial para relacionarem se entre si. Faltava uma coisa para Moises ver a glória de Deus, tirar as sandálias dos seus pés para estar onde Deus estava. Para ele era algo ilógico e inusitado tirar as sandálias dos seus pés, porque já estava acostumado e habituado pisar na sarça com as suas sandálias, quando ia buscar as ovelhas fujonas de seu sogro Jetro, mas agora Deus olha para ele e diz que tem de tirar as sandálias dos pés, porque o lugar onde ele pisa é santo, é santo porque a minha presença esta aqui neste lugar foi à primeira lição que Deus ensinou a Moises, ou seja, a santidade regra imprescindível e primordial para estabelecer relacionamento com o nosso criador. É o que acontece conosco, já estamos tão acostumados de vir à casa de Deus que não nos damos conta de quem esta lá, assim não vemos a glória de Deus porque não tiramos as sandálias dos pés, a bagagem que nos impedem de ter contato com o sobrenatural. 
Deus escolheu uma simples sarça para fazer brilhar a shechiná (A luz divina) em lugar de outras arvores lindas e majestosas para dar aos homens o exemplo de humildade. A madeira da sarça não serve para talhar ídolos. As aves que sobre a sarça pousam, soltam suas plumagens; assim ocorre aos povos que oprimem Israel ou a igreja, que por isso causam danos a si mesmos. A sarça tem espinhos, e o espinho é a planta da dor, tal como é o povo do sofrimento. A sarça ardia no fogo, mas não se consumia, assim a dor pode arder no povo de Israel (igreja), mas sem destruí – lo jamais.
O texto descreve a visão de Moisés de três formas diferentes: 1) Como uma chama de fogo; 2) Como um anjo; 3) Como Deus. Esta é a primeira profecia de Moises, ele é exposto a ela de forma gradativa, como alguém que está num quarto escuro, cujos olhos não podem tolerar serem expostos à luz imediatamente. Primeiro Moises vê uma estranha chama de fogo que coloca em alerta sua curiosidade investigativa. Depois revela – se a ele que há um anjo no fogo, e ao tomar consciência de estar vivenciando um novo fenômeno, ele tem uma visão de Deus, que se apresenta primeiro como o Deus de seu pai, Anrão e só depois como o Deus de seus patriarcas. Eterno – o nome que se aparece neste capitulo preponderantemente é Elohim, o nome que denota o espírito de justiça divina, pois sua missão era julgar o Egito por causa de sua excessiva crueldade. No entanto, nos três momentos em que se revela a Moises (2, 4,7), ele é Eterno, o nome que denota a misericórdia divina demonstrando assim, que sua intenção primordial é redimir Israel numa histórica demonstração.
V.11; Segundo o Rabino Rashi, durante sete dias Deus tentou persuadir Moises ir ao Egito e ele se recusou. Sua argumentação dividia – se em três partes: 1) Ele se considerava inapto e inadequado para tal missão; 2) Ele receava falhar, pois tanto o faraó como os israelitas não ouviram; 3) Os judeus talvez não merecessem a intervenção miraculosa de Deus. Mais tarde, um novo elemento somou – se a estes, Moisés acreditava que seu irmão estava mais preparado do que ele para liderar o povo de Israel.
Se Deus tivesse dito para Moises e a seus servos os obstáculos que eles teriam, eles não aceitariam o chamado, Deus falou aos seus profetas e falará a nós também.
Tinha que remover o rei do Egito e convencer o povo, mas Moises teve autoridade de convencer o povo. (Deus prefere convencer os governantes ao invés de tira – los).
Êxodo. 6.3; Deus revelou seu nome a Moises para poder o fortalecer, o nome Deus revela a sua natureza. Ele revelou a Moises o seu verdadeiro nome, mas a Abraão ele se revelou como o Todo – Poderoso (El Shaday). 
Não pensemos que por Deus ter falado, não teremos problemas a ponto de dizer que Deus não está no negócio. Quando não tivermos saída para o lado ela será para cima, na fogueira ele é o nosso refrigério. Faraó rejeitou a ordem de Deus e trouxe mais opressão sobre o povo.
Deus faz tudo por etapas, Deus usa o que temos como Moises entre os magos de faraó, a vara, e sua própria mão que ficou leprosa como sinal da sobrenaturalidade do Senhor.
Deus prometeu uma terra fértil para o povo que achava que saindo do Egito ia encontra – la de imediato, mas haveria muitos obstáculos para se chegar lá. Achamos e queremos que seja tudo fácil e tranqüilo.
Deus levantou Moises para que fosse um instrumento a qual se utilizasse para libertar o seu povo da opressão egípcia e prometeu que daria ao povo uma farta e prospera terra e que expulsaria os povos que lá se encontrava, Deus estava ouvindo o clamor e o pranto do seu povo e estabeleceu o fim de todo aquele sofrimento.
Para convencer o Rei do Egito a liberta – los Deus deu poder a Moises para que dessa forma Faraó se convencesse de que não estava trat

ando com um deus morto, mas o Deus todo poderoso que opera obras sobrenaturais. Inicialmente Faraó só presenciou a manifestação de três milagres a vara que se transforma em serpente, a mão com lepra, e a primeira praga das dez que Deus enviou sobre o Egito as águas do rio Nilo que se transforma em sangue.
Deus estava libertando o povo para que fosse até o deserto para sacrificar e após isso Ele levaria ao povo para a terra prometida.
Deus ainda abençoou o seu povo antes deles saírem do Egito, fazendo com que todos os vizinhos egípcios dessem objetos de prata e ouro, assim dessa forma o povo saiu rico e abastado do Egito não saíram de mãos vazias. Haverá alarido de vitória no teu arraial. 

 

Fonte: Ministerio Ricardo Santos