Introdução:

Estimados irmãos e irmãs em Cristo Jesus!

Paulo no texto que acabamos de ouvir de Ef 6.10-20 (pedir para todos abrirem novamente), nos incentiva a sermos soldados preparados para uma batalha. Isso não soa bem aos nossos ouvidos, pois nunca presenciamos uma batalha e muito menos vimos alguém vestido com roupas de guerra, a não ser em filmes. A batalha que Paulo fala não é contra o Iraque, contra os EUA; é contra as ciladas do diabo, contra os dominadores deste mundo tenebroso.

Por isso sugeri o tema: “Deus nos oferece todos os equipamentos para vencermos o mal!” Vocês devem estar perguntando: Quais são estes equipamentos? Vejamos o que o texto nos diz:

Paulo começa dizendo: “Revesti ou vesti de toda a armadura de Deus”. Armadura é um conjunto de peças de metal ou couro que se usava para proteção dos soldados. A armadura consistia em: cinto, couraça (colete), sapato resistente, escudo, capacete e espada. Isso o soldado precisava para ir a uma batalha. Era necessário esse armamento.

Trazendo para o contexto espiritual, assim como Paulo fez, o cristão precisa destes equipamentos. Lembrando que estes equipamentos, não conseguimos com a nossa própria força e sim, com a força que vêm do Senhor. cf. v.10.

I. Parte: Armamento

O primeiro armamento para esta luta espiritual é “cingir-se (cinto) com a verdade.”

Quando os soldados romanos se cingiam, eles colocavam de um a três cintos para prender a espada e também para proteger a região abdominal do corpo.

Paulo nos diz: “coloquem este cinto; a verdade, para vossa proteção. Que verdade é esta? É a minha? É a sua? Não. A verdade é a verdade de Deus em Cristo, na Palavra, do deixar Deus ser Deus. Antes de Jesus ser crucificado, Pilatos perguntou: Você é rei? E Jesus respondeu: “foi para isso que vim ao mundo, a fim de testemunhar da verdade”. (Jo 18.38) Ou seja, testemunhar o amor que Deus Pai tem por nós. Portanto, vistam esse cinto, deixem Deus se Deus na sua vida, deixem Deus governar os seus passos, não vivam no mundo da imaginação, da mentira.

A Segunda arma é a couraça (colete).

Era um tipo de colete de couro ou de metal que protegia contra flechas, lanças e espadas.

Paulo nos diz: “vistam a couraça da justiça” Que justiça é esta? É a nossa justiça? De julgarmos e condenarmos o nosso irmão sem saber? Não. É a justiça de Deus em Cristo. Justiça pela qual Deus nos justifica, através de Cristo. Ou seja, vamos nos vestir com a justiça de Deus e dizer: “eu sou pecador, eu erro, mas eu confio no sacrifício de Jesus e creio que Ele me justifica. Eu creio na justiça divina”. A couraça era a melhor arma de defesa, assim é a justiça de Deus, ela é a melhor arma que recebemos para nos defendermos dos ataques dos inimigos.

A terceira arma é calçar os pés (sapato).

Os soldados romanos usavam sapatos que tinham cravos como de chuteiras, para tornar a marcha mais firme.

No texto Paulo diz que estes sapatos que dão firmeza é o Evangelho da paz. Hoje, todos vocês estão calçando estes sapatos, pois estão ouvindo o doce evangelho da paz. Quando somos bombardeados pelo inimigo, logo desanimamos, pois muitas vezes não estamos firmes no evangelho da paz. O evangelho, ou seja, a boa nova da salvação nos dá animo e firmeza para lutarmos. O evangelho fortalece a quarta arma do cristão:

A quarta arma é o escudo.

O escudo que os soldados usavam era grandes, para a proteção de todo o corpo.

Paulo diz que o escudo é a nossa fé. Depois de colocarmos o cinto da verdade, a couraça da justiça e os sapatos do evangelho, temos o escudo da fé. O escudo mostra que a proteção não está na nossa força, mas precisa de algo externo, alguém que possa nos defender e este alguém é Jesus.

A fé em Jesus nos livra da tantas pedradas, de tantos males que nem damos conta. A fé que o Espírito Santo coloca no nosso coração, nos defende de tudo. Quando o diabo usa pessoas para nos ofender, para nos maltratar, usemos este escudo. Não podemos ser irreais de dizer que quando recebemos um golpe destes, não nos abatemos, não nos estremecemos, mas podemos ser reais e dizer: Eu tenho fé naquele que me perdoou todos os pecados. E por causa deste amor e fé, que eu tenho em Deus, eu posso perdoar também. A fé em Jesus nos livra de tantos males, os quais são inumeráveis.

A quinta arma é o capacete.

A cabeça por ser a parte mais vulnerável do corpo, precisa de proteção. O capacete da salvação é a nossa defesa. Diante das acusações do inimigo, de que estamos perdidos e precisamos fazer algo para nossa salvação, podemos ter certeza que em Cristo temos a salvação, pois Ele já fez tudo para que a tenhamos. Isso não quer dizer que estamos livres das lutas e perigos.

Meus irmãos e irmãs! A Sexta arma é a espada. A única arma que serve para defesa e ataque.

Paulo diz: “Tomai a espada do Espírito que é a Palavra”. Na nossa vida cristã somos soldados de Deus. E Ele colocou na mão de cada um de nós esta arma; a espada, que é a sua Palavra. Em Hb 4.12 o autor diz: “Porque a Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração”. Esta arma (levantar a Bíblia) todos nós temos e podemos usar.

Jesus fez uso desta arma, depois de ter jejuado quarenta dias e quarenta noites, o diabo o tentou, mas quais foram as principais palavras de Cristo? “Está escrito”. Quando o diabo disse: “transforma as pedras e pães”. Jesus respondeu: “Está escrito: Não só de pão o homem viverá…” O diabo o levou sobre o pináculo do templo e disse:… Por fim, o diabo o levou a um monte alto e disse: “Tudo de darei…” Jesus respondeu novamente: “Está escrito: Ao Senhor teu Deus…” Nesse momento o diabo o deixou, pois havia perdido.

Estamos fazendo usa da Palavra de Deus desta forma? Quando o diabo nos convida a adorar outros deuses, tais como o dinheiro, a fama, o orgulho, os bens materiais, as superstições, etc…, estamos dizendo: “Está escrito: Ao Senhor teu Deus adorará e só a Ele darás culto?”

Quando somos tentados a falar mal do irmão, estamos dizendo: “Está escrito: Não dirás falso testemunho contra o teu próximo?”

Quando somos tentados a desanimar, devido aos problemas, estamos dizendo: “Está escrito: Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados que eu vos aliviarei”?

Quando somos tentados a nos afastarmos da comunhão com Deus, isso através da igreja, estamos dizendo para esses pensamentos: “Está escrito: Não deixemos de congregar-nos como é costume de alguns?” Em todas as circunstâncias da vida podemos usar a Palavra de Deus, tanto para nos defendermos, como para atacarmos o inimigo.

Por último temos a oração. Esta é uma arma que não é comparada com nenhum tipo de armamento. Esta é uma arma peculiar de cada cristão. Podemos chamá-la de sistema de comunicação. Pois, com esta arma podemos pedir ajuda para o grande “comandante” Jesus. Isso, não só nos momentos difíceis, mas sempre, em todo lugar, em tempo, com toda perseverança e por todos os irmãos.

Estas são as armas que Deus nos dá para resistirmos todas as forças e ciladas do diabo, todos os dardos, ou seja, todas flechadas de fogo que o diabo lança sobre nós diariamente.

II. Parte: Aplicação:

Pergunto: Que tipo de soldado você é? Como está a sua armadura? Está faltando a verdade? Está faltando você deixar Deus ser Deus na sua vida? Está faltando você deixar Deus governar sua vida?

Está faltando a justiça de Deus? Você está tentando se justificar em suas obras?

Está faltando o Evangelho da Paz? Você está buscando consolo no mundo, nos vícios e no dinheiro?

Está faltando Fé? Você está confiando em criaturas ao invés do criador? Você está confiando nos bens materiais?

Está faltando a certeza da salvação? Você não crê no que Jesus fez na cruz para te dar a Salvação?

Está faltando a Palavra? Você não lê, não medita, não ouve a Palavra de Deus?

Está faltando a oração? Você não ora, não fala com Deus, não pede, não agradece?

Vocês já imaginaram um soldado ir para uma batalha, sem camisa, de bermuda, com os pés descalço? Qual será o destino de tal soldado? Com certeza a morte.

Assim é todo aquele que se diz cristão e não se veste destas armaduras que Deus nos oferece.

Conclusão:

Se estiver faltando uma destas armas em sua vida, não se desespere, peça a Deus. Você pode fazer isso através da oração. Você pode dizer: Senhor governe minha vida, e quando eu te desobedecer, me dê um coração arrependido, para que eu possa ser justificado perante ti, aumenta também a minha fé e a certeza da salvação. E por fim, me dê forças para sempre ter a tua Palavra como a minha espada.

Que o Deus de toda graça nos dê força e coragem para lutarmos e vencermos todas as ciladas do diabo, até a vinda de Cristo, onde iremos juntos para a glória eterna. Amém.

Forte abraço à todos!

Em Cristo,

Pastor Reginaldo Veloso Jacob – Ipatinga, MG