1.       TEMA
Em quem você tem colocado sua confiança?
2.       TEXTO
Gênesis 21:8-21
3.       OBJETIVO
Fé e restauração
4.       INTRODUÇÃO
A história de Hagar:
·         Era escrava egípcia recebida com os presentes que Abraão ganhou do Faraó por Sara (Gn 12:10-19)
·         Havia gerado um filho e enciumado a mulher de Abraão e foi expulsa para o deserto e voltou com a promessa que Deus abençoaria Ismael e dele faria uma nova nação;
·         Nesse episódio, enquanto está sendo expulsa novamente para o deserto por ciúme provocado pela insolência dela e de seu filho Ismael;
Depois que foi enviada para o deserto, com um pão e um odre de água (  Odre é como se chama um antigo recipiente feito de pele de animal, geralmente de cabra, usado para o transporte de líquidos), enquanto havia água no odre podia sonhar, porém, quando a água acabou, ela abandonou seu filho e se afastou para morrer (vs. 15-17).
5.       DESENVOLVIMENTO
a.       Nossa esperança sempre acaba, quando aquilo em que colocamos a nossa confiança também acaba.

                                                               i.      As pessoas estão sempre investindo seu tempo, energia e dinheiro procurando tornar a sua vida mais segura:
1.       Planejam suas carreiras e se preparam financeiramente para o casamento, porém, nunca houve tantos divórcios;
2.       Inventismos em colégios particulares, tecnologia,  entretenimento e, ainda assim, nunca tivemos tantas crianças com problemas emocionais e espirituais;
3.       Compramos todo tipo de seguro: saúde, automóvel, residencial, etc. (mas, e quando a doença é incurável? Ou o assaltante te aborda dentro do carro?);
4.       A maioria das pessoas se preocupa em assegurar o seu futuro: fazem planos de aposentadoria, poupança, fundos, títulos, ações ( e se a economia quebrar? Como será?).
b.      O que acontece quando aquilo em que colocamos a nossa segurança acaba?
                                                               i.      Muitas crises acontecem em meio às celebrações da vida – v. 8-9
1.       No meio do grande banquete que Abraão estava dando surgiu uma coisa que não estava agendada, que azedou a festa, que estragou a celebração: (Gn 21:9-10)
                                                             ii.      Perdemos o controle (vs. 15-16 – “Hagar saiu andando errante pelo deserto”)
1.       Caminhamos em círculos, sem controle, e nos perguntamos: qual é a razão de tudo isso?
c.        Ficamos desesperados (vs. 16c)
                                                               i.      E com o desespero vem o pessimismo (“Assim, não verei morrer o menino…”)
d.      Ficamos cegos (vs.19)
e.      A sorte de Hagar e Ismael começa a mudar depois que “Deus ouviu a voz do menino” (vs.17)
                                                               i.      Que tens Hagar? – Deus quer ouvi-la!
1.       Deus encontra conosco exatamente onde a história parecia ter chegado ao fim – v. 17,18 “Deus, porém, ouviu…”.
a.       Gente desesperadora ora! Quando a tingimos o limite de nossos recursos orou quase que instintivamente. Oramos induzidos pela dor. Não é ruim orar em momentos de crise, o problema é que quando a crise ainda não está aguda, preferimos confiar em nosso próprios recursos e habilidades.
b.      Como somos espiritualmente preguiçosos tendemos ir em direção do modo mais fácil. Mas, são os intercessores que mudam a história!
c.       Oração é um comportamento aprendido!
f.      &nbs

p; Peça a Deus para abrir os seus olhos.

                                                               i.      Os estudiosos acreditam que Abraão quando encheu o odre de água, a água era suficiente para chegar até esse poço. Com o calor, Hagar deve ter tido vertidos e caminhado sem direção;
g.       Nunca desista (vs. 18)
                                                               i.      O caminho está escuro, não se assente ( João 8:12 – “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida”) A estrada está muito longa? Não pare! ( Mateus 28:20…”eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”). Quando o útero era velho demais Sara ficou grávida! Quando o pecado era grave demais Davi foi perdoado e quando a doença era grave demais, o Rei Ezequias foi curado!
                                                             ii.      Deus ainda envia seus anjos!
                                                      iii.      Porém, fé sem esforço não é fé! (Naamã, a mulher com fluxo de Sangue, Moisés, Davi, etc.). Não é só dizermos que temos fé, é preciso ter atitudes de fé!
h.      Conhecendo o Deus da restauração (vs. 19 – “ela viu um poço; e foi encher o odre e deu de beber ao menino”;.
                                                               i.      Restaurar é: refazer, reconstruir. Dá a idéia de recuperar aquilo que se havia perdido.
                                                             ii.      E depois da restauração, Deus ainda cumpre as promessas feitas sobre Ismael.
6.       Conclusão