460x431

Rm 12.2a

 

·           Marcas de uma igreja que faz a diferença …. Porque estamos conversando sobre esse tema. Porque estamos olhando para traz e estamos tentando identificar quais destas marcas já possuímos ou precisamos possuir que para fazer a diferença na vida das pessoas.

·           Não estamos olhando só para traz, mas estamos olhando para frente Tb e com o intuito de reavaliar a nossa postura cristã de sermos pessoas que fazem diferença na vida de outras pessoas, assumindo um compromisso trino de sermos agentes de transformação em Cristo, na igreja local e na sociedade a qual estamos incluídos.

·           Revisar… quais são as marcas que temos pontuado.

1.     Centralidade da Palavra… Não tem como sermos uma igreja que quer fazer diferença na vida das pessoas, de nossa cidade, de nossa cultura se não resgatarmos a centralidade da Palavra em nossas vidas.

A começar pela vida daqueles que se reúne nessa comunidade Cristã.

“Somente a palavra de Deus, quando ensinada com integridade e relevância, tem o poder para transformar homens e mulheres que, a partir da encarnação dos valores de Deus, passam a ser agentes de transformação em suas famílias, empresas, organizações, órgãos públicos e no mundo ao seu redor”

Quando a palavra de Deus é ensinada com relevância homens, mulheres, jovens são impactados pela palavra e são desafiados a redimensionarem os valores de suas vidas os princípios de suas vidas, e passam a influenciar a reformular o meio aos quais vivem.

2.     A segunda marca que vimos na semana passada foi a amplitude da Visão e resumimos na seguinte frase.  “a relevância e a influência de uma igreja local (ou cristão) está grandemente condicionada á visão que possui de DEUS, de Si MESMA, e de SUA MISSÃO.

Porque uma igreja que tem a visão de um deus pequeno de um deus frágil, pensa de si mesma da mesma maneira. A visão que você possui de Deus vai influenciar a sua ousadia ou a sua timidez ou determinar a sua covardia.

Uma igreja que cresce, um cristão que se desenvolve, é um cristão, é uma igreja que tem sua visão ampliada de Deus e não recua e nem bate em retirada diante dois desafios de Deus.

 O apostolo Paulo descreveu ter uma visão ampliada de Deus em Efésios como “aquele que é capaz de fazer infinitamente mais de tudo quanto pedimos ou pensamos”, uma igreja que começa ver Deus dessa forma é uma igreja que começa a ver a sim mesma como uma igreja significativa e relevante com a missão de influenciar o seu meio e ser agente de transformação na vida de homens e mulheres, na cidade onde está.

Um cristão que tem uma visão clara de Deus faz como o profeta Isaias quando se deparou com Deus e disse: “ai de mim” porque ele viu a grandeza de Deus.

É um cristão que começa a si enxergar diferente, ele é uma vazo de barro mas dentro dele existe um poder que pode fazer a diferença no mundo que o Espírito Santo de Deus, e assim começa a viver no meio da sociedade como um embaixador da Deus.

·           Hoje eu quero falar com vocês sobre a terceira marca, Conexão com o seu tempo. Uma igreja que faz a diferença é uma igreja conectada com o seu tempo. E quando a gente fala de tempo a gente não está falando de relógio, mas sim de Cultura.

·           O que é cultura?  A definição simples de cultura é: “a cultura de um povo ou de uma geração é o conjunto de ideais, valores e manifestações que organizam e dão significado a vida. ” Você desde o momento em que você nasceu você vem sendo formado pelo seu pai, pela sua mãe, pela sua família, pela a sua escola, você foi e vem absorvendo determinados valores.

·           Você se veste desta maneira, porque você está inserido em uma cultura brasileira, você fala como você fala, você usa a sua linguagem o português porque você nasceu e vive no Brasil, você tem determinadas categorias de valores, você come de determinada forma, você come determinados alimentos por uma única e exclusiva razão você está imerso em uma cultura.

·           Se você estivesse em outra cultura talvez você não teria problema nenhum de comer espetinho de gato ou de cachorro, de comer escorpião frito.

·           Se você estivesse em outra cultura talvez Para você não teria problema de um homem usar uma saia, de uma mulher terem seus cabelos raspadas, ou usar um turbante, ou argolas no pescoço para aumentar o pescoço…

·           Você se veste do jeito que você se veste, fala do jeito que você fala, come do jeito que você come tão somente porque você está imerso em uma cultura.

·           A cultura meu queridão irmão funciona como uma moldura através da qual vc enxerga o seu mundo, é por isso quando você vê um gringo essa pessoa parece fora de sua moldura, ela parece um tanto quanto estranha pra você, mas o problema não é a pessoa, mas é a sua moldura, ela usa uma outra moldura, você também está do lado de fora da moldura dela.

·           A cultura pressupõe um grau de homogeneidade. Ou seja possui o mesmo padrão. Por exemplo: a língua, os tipos de música, gosto pelas mesmas comidas, existe um padrão mínimo para uma cultura ser definida como cultura, mas, no entanto apesar dessa homogeneidade toda cultura possui certo grau de tolerância para com a adversidade conhecidas como subculturas dentro da cultura.

·           Como por exemplo, a cultura baiana é diferente a cultura gaúcha, mas estão dentro da cultura do contexto Brasil…

·           Dentro de uma própria cidade existe uma sub cultura por exemplo os jovens skatistas, eles são jovens, são brasileiros, mas eles têm um padrão e determinadas terminologias que você não consegue entender se não for do meio deles, usam roupas, marcas de roupas, tênis que são típicos dessas subcultura, são as chamadas tribos. Mas fazem parte da cultura brasileira.

·            Da mesma maneira nós poderíamos dizer que existem algumas igrejas evangélicas brasileiras que se tornaram verdadeiras sub culturas.

·           Pois existem igrejas que se você tentar conversar com a pessoa de determinada igreja, você vai ter dificuldade de entender o que ela está falando, porque é cheio de terminologias do grego como que o shekna de Deus esteja com você, shalon adonai, ou então jargões como varão, varoa, vazo escolhido, só no óleo, fogo puro… são terminologias de uma sub cultura que tem seus ídolos internos.

·           O grande problema é quando essa sub cultura tenta se comunicar com os de fora, os de fora não entendem o que a igreja está falando.

·           A cultura é fundamental no processo de comunicação.  Por exemplo todo domingo estou aqui trazendo uma mensagem da palavra de Deus pra você e o meu grande esforço é fazer isso dentro do espaço da experiência comum, daquilo que entendo é uma necessidade comum, mas eu a faço dentro dos meus valores, dentro de minha formação, dentro da minha concepção de mundo, dentro da cultura que fui formado no decorrer dos anos,

·           Você está aqui ouvindo essa palavra, ouvindo dentro da moldura a qual você também cresceu, dentro do seus valores e formação que você adquiriu ao longo de sua vida, é bem provável que a sua moldura difere da minha.

·           Mas as suas experiências e as minhas, os seus valores e os meus, eles têm um ponto de intersecção e é ai que a gente consegue conversar…O meu esforço aqui, sempre é tornar a mensagem de Deus relevante no seu mundo, na sua perspectiva, dentro da sua cultura.

·           Uma igreja que faz a diferença é uma igreja conectada com o seu tempo, com o mundo, ou seja com a sua cultura e sub culturas.

·            Ser conectada com o seu tempo não é fazer o que o mundo faz, mas comunicar as verdades do evangelho de maneira que esse mundo entenda e entenda claramente.

·            E isso só vai acontecer se você se relacionar com essa cultura. Uma igreja que faz a diferença é uma igreja que se relaciona com o seu tempo.  Ser conectada com o seu tempo não é fazer o que o mundo faz, mas comunicar as verdades do evangelho de maneira que esse mundo entenda e entenda claramente.

·           Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente… (Romanos 12:2 NVI)

·           Isso é importante que você entenda. Por que o primeiro passa para sermos uma igreja conectada com o nosso tempo precisamos aprender a desconectar.

·           Vou dar um exemplo: Vejam esse vídeo. https://www.youtube.com/watch?v=bAT8tlBqq3A&hd=1

·           O meu desejo, e que depois de assistir ao vídeo alguma reflexão seja gerada na sua mente e você entenda que ser uma igreja conectada com o seu tempo, ser um cristão conectado com o seu tempo, não é fazer o que esse tempo faz, pelo contrário é transitar por esse meio, comunicando as verdades do evangelho através dos relacionamentos.

·           Mas como fazer isso? Como ser uma igreja que faz a diferença, conectada com o seu tempo, se fazemos as mesmas coisas que esse tempo impõe?

·           Como vamos nos relacionar através de nossa cultura com as sub culturas se temos os nossos olhos vendados e somos dominados por essa mesma cultura?

·           Esse vídeo fala de uma realidade em nossas vidas, com certeza na vida de muitos de vocês. Muitos são verdadeiros estranhos dentro de seus lares, muitos se perderam no mundo virtual e estão perdendo o melhor da vida e Jesus está dizendo essa noite é preciso aprender desconectar para conectar, desconectar para enxergar, desconectar para desfrutar o amor de seus pais, desconectar para reatar amizades, desconectar para correr atrás de seus sonhos, desconectar para viver, desconectar para conectar com Deus. E eu não só falo da internet, mas falo da TV Tb

·           Deus já fez a parte dele, Ele o desconectou para conectar, Ele desconectou você do velho homem a bíblia diz que você era filho da desobediência. “Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência” Efésios 2.2 O seu futuro já estava decretado, a morte era certa, você estava longe de seu criador, andava segundo o curso desse mundo condenado, era escravo de satanás e não tinha valor nenhum para ele, era filho da desobediência.

·           Mas Deus, através de Cristo o desconecta dessa geração maldita e o conecta novamente em sua família, agora você é um movo homem e uma nova mulher agora você é um filho de Deus.

·           Muitos cristãos estão desperdiçando a sua vida levando uma vida sem sentido, conectados a todo tipo de esquemas, mas desconectados do sentido da vida, da vontade de Deus. Da missão de Deus, do chamado de Deus.

·           Tenho a certeza que existem pessoas no nosso meio que anseiam mais de Deus, que oram por um avivamento em suas vidas, que esperam contemplar o poder (ser cheio do Espírito Santo) de Deus em suas vidas, mas não sabem transformar esse desejo em realidade.

·            Eu quero dizer para vocês que o primeiro passo para uma vida de poder diante de Deus é desconectar para conectar.

·           Uma igreja que faz a diferença é uma igreja conectada com o seu tempo, que não se deixa ser controlada pela cultura, mas que faz dela uma ponte para que o evangelho alcance vidas e os transformes em agentes de transformação.

·           Que fala a língua do seu povo, que sente as dores do seu povo, qua abre os olhos para a injustiça e para o injustiçado, que estende a mão ao oprimido. Uma igreja que se importa.

·           Continua

·           marcas de uma igreja que faz a diferença

·           Conexão com o seu tempo

·           Ser conectada com o seu tempo não é fazer o que o mundo faz, mas comunicar as verdades do evangelho de maneira que esse mundo entenda e entenda claramente.

·           Romanos 12 não nos deixemos moldar por esse mundo, mas transformai-vos pela renovação da nossa mente.

·           Tito 2:6 “Quanto aos jovens, exorta-os (anima-os/incentiva-os) para que, em todas as coisas, sejam criteriosos“.

·           Quando a gente fala de cultura da perspectiva teológica nós temos um grande paradoxo.

·           Por um lado quando lemos gênesis 1e2 vamos chegar à conclusão que somos seres criados a imagem e semelhança de Deus e capacitado com poder criativo. Gênesis 1 e 2 no diz que somos imagem e semelhança de Deus. E que ele dotou os seres humanos de um poder criativo.

·           Nós somos os únicos animais sobre a face da terra que conscientemente resolve problemas e criam soluções para os seus problemas e nomeiam as suas soluções. Por exemplo a cadeira…

·           Tudo que está ao seu redor é expressão cultural. Tudo que está ao seu redor existe porque Deus nos dotou de um poder criativo, nós temos instrumentos porque Deus nos Deus criatividade, mesa de som, cadeiras etc.

·           O que você produz é fruto desse lampejo da graça de Deus que te deu poder para criar.

·           Agora quando nós lemos Gênesis 3 nós percebemos, que somos seres humanos desconectados de Deus, os nossos primeiros pais romperam com Deus, eles viraram as costas para Deus e disseram nós não precisamos mais do seu amor, do seu cuidado, nós damos conta de vivermos por nós mesmo.

·           É a partir daí, eles se foram com o poder criativo, mas esse poder criativo não mais produz tão somente beleza e bondade, agora esse poder criativo produz também sinais dessa ruptura, sinais desta queda.

·           Produz injustiça, corrupção, opressão, imoralidade, produz o mal ao próximo.

·           Somos seres humanos desconectados de Deus e em tudo que criamos, refletimos os sinais dessa ruptura.

·           Uma vez que o homem é criatura de Deus, parte de sua cultura é rica em beleza e bondade. Pelo fato de o homem ter caído, toda a sua cultura (usos e costumes) está marcada pelo pecado e parte dela é de inspiração demoníaca”

·           Pacto de Lausane que é um pacto usados por muitas igrejas sérias e bíblicas nos diz o seguinte a respeito desse paradoxo; “uma vez que o homem é criatura de Deus, parte de sua cultura é rica em beleza e bondade, quando nós ouvimos determinadas músicas nós percebemos a beleza e a bondade, quando nós olhamos determinadas obras de artes, quadro e esculturas, quando nós vemos determinados prédios, determinadas invenções cientificas, quando vemos cientista descobrindo a cura de determinadas doenças, nós vemos nisso a beleza e a bondade de Deus. No entanto pelo fato de o homem ter caído, toda a sua cultura (usos e costumes) está marcada pelo pecado, pela queda, pela ruptura e perceba parte dela é de inspiração demoníaca”

·           A partir do momento que o homem e a mulher romperam com o Deus criador o próprio lúcifer encontrou brechas, para que através do poder criativo que nós recebemos de Deus ele manifeste o seu poder destrutivo. E ele usa o nosso poder criativo não pra beleza e bondade, mas pra destruição e maldade.

·           Vejam as guerras, vejam os armamentos atômicos, vejam como pessoas são capazes de usar o poder criativo para criar um sistema de corrupção que levam milhões e milhões e milhões de reais que deveria ser destinado a hospitais e a escolas. É poder criativo dado por Deus, usado para a destruição, pelo pecado.

·           Por que eu estou dizendo isso, porque aprendemos domingo passado que ser uma igreja conectada com o seu tempo não é, não é, fazer o que esse tempo faz. E por isso precisamos desenvolver uma visão crítica da cultura.

·           E precisamos desenvolver uma relação com a cultura da seguinte forma:

1-     Observar: o Apostolo Paulo escrevendo a sua carta a Tito, jovem pastor da ilha de Creta, ele recomenda que ele exortasse a igreja de Creta com a seguinte orientação: Tito 2:6 “Quanto aos jovens, exorta-os (anima-os/incentiva-os) para que, em todas as coisas, sejam criteriosos“.  Homens sejam criteriosos, mulheres sejam criteriosos, jovens sejam criteriosos.

2-     Nem tudo que é comum, nem tudo que é feito pela maioria, nem tudo que é produzido musicalmente, nem tudo que é produzido na tv, no cinema, nos livros, nem tudo que é dito, escrito ou falado por ai é bom e belo e nos inspira bondade, parte disso gera destruição, parte disso te envolve e te conduz a corrupção, a injustiça, a violência, a imoralidade, a sensualidade fora do padrão de Deus e você precisa ser criterioso a tudo isso.

3-     Discernir: é importante discernir dentro da cultura o que é belo e bom. Dentro da cultura o que é ruim e mal?

4-     Dentro da cultura o que me inspira a pensar mais no plano de Deus para mim e pra minha vida?

5-     Dentro da cultura o que sabota o projeto de Deus em minha vida?

6-     Dentro da minha cultura o que me atrai a me tornar mais parecido com Jesus?

7-     Na minha cultura o que me atrai para me tornar a cada dia mais distante de Jesus?

·           Alguns exemplos: a moda… a moda é uma expressão cultural. Mas é uma expressão que devemos observar e discernir, Deus não tem problema nenhum com aquilo que a gente acho belo, muito pelo contrário, quando Deus criou a natureza ele olha vê tudo e Diz: isso é muito bom. Nós podemos entender esse muito bom é que Deus olhou tudo isso e viu que é era muito belo e Deus gosta do belo.

·           Não existe problema nenhum, em mulheres andarem bem vestidas e belas, no entanto existe uma outra faceta da moda, muitas vezes a mesma moda que convida mulheres a se sentirem belas, é uma moda que estimula as mulheres a usarem a sensualidade fora dos propósitos de Deus. Te confundindo com uma jovem ou uma mulher que não segue a Jesus. A maneira que você lida com o seu corpo. A maneira que você decide a roupa que você usa revela a grandemente qual é a concepção que você tem como Deus quer que você use o seu corpo.

·           A música…a música que você ouve é uma expressão cultural, mas você deve simplesmente colocar o fone de ouvido e deixar a música entrar no seu cérebro sem refletir sem observar e discernir.

·           O que esse negócio está sendo dito aqui no meu ouvido, eu quero de fato? Isso vai me induzir e vai me levar, vai me incentivar a levar uma vida mais parecida com cristo. Existem músicas que nos inspiram que fazem bem a nossa alma ao nosso coração, mas existem músicas que falam contra os princípios da palavra de Deus, que claramente detonam os princípios de Deus em nossas vidas, fala contra a vontade de Deus, apregoam valores morais, éticos da sociedade que não tem nada a ver com o discípulo de Cristo.

·           A gente tem que aprender dizer não pra esse tipo de coisa. Seja música, seja filmes, seja páginas da internet e assim por diante. Temos que ter critério.

·           Internet… a internet é uma das maiores expressões culturais de nosso tempo. A internet é usada para as coisas muito boas e para as coisas muito ruins… e nós precisamos observa e discernir.

·           O que devemos fazer então? Quando você encontra dentro dessa cultura elementos que expressam a bondade, a justiça, a moralidade de Deus você deve se conectar a eles. Mesmo fora da igreja encontramos elementos da justiça, da graça, da bondade, da beleza de Deus, isso se chama dentro da teologia reformada da graça comum.

·           Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis; (Romanos 1:20 NVI)

·           Muitas vezes uma composição de um sujeito que nunca pisou na igreja, suas letras falam de coisas tão profundas que muitas canções dessa cultura gospel não exaltam… nós precisamos aprender a observar esses elementos bons e nos conectar com eles em contra partida precisamos desconectar dos elementos que nos levam a injustiça, a imoralidade etc. nós devemos confrontar estas coisas…

·           Só depois de aprendermos a ser criteriosos é que vamos conseguir ser uma igreja que faz a diferença. É que vamos conseguir transitar nesta cultura sem se deixar moldar por ela, é que vamos conseguir ser uma igreja conectada com o nosso tempo e falarmos a língua do nosso tempo.

·           John Stott: A igreja de cada geração deve procurar traduzir a fé para o idioma contemporâneo, a fim de relacionar o mundo imutável com o mundo em mudanças. Mas tradução é uma interpretação da mesma mensagem numa outra linguagem; não se trata de uma nova composição. Traduzindo, …o conteúdo de nossa mensagem é inegociável, mas os meios para comunicá-la são variados.

·           A palavra de Deus é imutável, o evangelho é inegociável, agora a forma como nós vamos levar a mensagem de Deus a homens e mulheres a todo mundo, isso é mutável, isso é variável, é a bandeja, depende da cultura.

·           E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei. Para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei. Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele. 1 Coríntios 9:20-23

·           Uma igreja qual faz a diferença é uma igreja conectada com o seu tempo. É uma igreja que está atenta as perguntas que as pessoas estão fazendo. É uma igreja que sabe ouvir e dar respostas as perguntas que o mundo faz.

·           é uma igreja que tem a bíblia em uma mão e jornal na outra. O jornal do dia nos oferece as perguntas, a bíblia as respostas.

·           Vivemos hoje queridos irmãos em uma cultura pós moderna ou cultura emergente essa cultura ela tem se demonstrado ser uma cultura diversificada, ou seja, existe um universo de diferentes elementos culturais.

·           E viver num contexto assim tem suas consequências negativas sim, principalmente o pressuposto de não existir uma verdade absoluta, não existe verdade com ninguém, cada um de nós temos uma percepção da verdade ou parte da verdade.

·           Do outro lado querido irmãos, existe um fator positivo viver em uma sociedade diversificada as pessoas estão abertas para ouvir o que você pensa acerca de sua espiritualidade. E esse é o ponto de partida para você e para uma igreja conectada com o seu tempo. O grande problema da maioria das igrejas é que elas são surdas não conseguem dialogar, não consegue ouvir quais são as perguntas.

·           No contexto atual não adianta a igreja começar pregando, ela tem que ouvir primeira a pergunta, por que se ela não ouvir qual é a pergunta ela corre o risco de ficar anos pregando uma resposta pras perguntas que ninguém, que a sociedade que as pessoas não estão fazendo.

·           O grande problema de algumas igrejas é que elas pregam grandes respostas com grande habilidade, citando pensadores e tudo mais, mas são respostas a perguntas que ninguém está fazendo.

·           Uma igreja que faz a diferença e está conectada com o seu tempo é uma igreja que escuta as perguntas que as pessoas estão fazendo… a igreja que consegue escutar na cultura a pergunta, ela responde com relevância a essa pergunta.

·           As pessoas desta geração estão cada dia mais sedentas de Deus, elas estão clamando em busca de um caminho que as ajude se relacionar mais eficientemente com Deus.

·           Que uma prova disso vá até um shopping entre em uma grande livraria e veja o ranque dos 10 livros mais vendidos nesse mês e você verá que vários desses livros falam sobre espiritualidade. Porque? Porque as pessoas estão em busca…

·           É verdade, elas estão lendo todo tipo de livros de espiritualidade, a espiritualidade dos cristais, a espiritualidade dos legumes, das abobrinhas.

·           Sabe porque as pessoas estão buscando a espiritualidade na abobrinha? Porque o mundo está cheio de cristãos bananas. Cristãos que não são referências pra essas pessoas, cristãos que com sua vida não geram sinais de referencial, cristãos mudos e calados que não anunciam a verdade do evangelho, por isso seus amigos estão procurando espiritualidade na abobrinha. Porque talvez o nosso cristianismo é uma banana.

·           Mas eles estão em busca… eles estão buscando nas coisas erradas, porque aqueles conhecem as respostas talvez estejam se omitindo.

·           Como seria irmãos, uma igreja a onde o jeitão dos crentes não assustasse o não cristão,

·           Como seria uma igreja sem os trejeitos no momento de adoração que geram pânicos no coração do não cristão.

·           Como seria uma igreja desprovida de um linguajar da sub cultura que faz com que o não cristão não entenda nada do que está sendo dito.

·           Como seria uma igreja que cantasse a Deus de uma forma que o não cristão entendesse, que ensinasse a palavra de uma maneira que o não cristão compreendesse.

·           Como seria uma igreja que a única coisa que viesse ofender o não cristão fosse o inegociável, o evangelho….

·           Deus o que o senhor quer fazer de mim nessa Igreja? Como o Senhor quer me usar. A quem o Senhor está me enviando…? Porque nós somos a igreja deste tempo e nós é que precisamos estar conectada com esta cultura. E nós precisamos comunicar o evangelho de maneira que nossos amigos, nossos vizinhos, parentes compreendam.

·           Nem todos vão aceitar esse evangelho, mas entre seus amigos, parentas, vizinho existem aqueles que estão clamando por alguém que lhe apresente Jesus. Aceite esse desafio…

·           Uma igreja conectada com o seu tempo Olhos voltados para fora, ouvidos abertos aos clamores de uma sociedade que perece, é uma igreja que estende suas mãos aos caídos.

·           “O espírito do Eterno. O Senhor está sobre mim porque o Eterno me ungiu. Ele me enviou para pregar as boas novas aos pobres, curar os de corações partido, anunciar liberdade aos cativos e o perdão a todos os prisioneiros. O Eterno me enviou para anunciar o ano de sua graça, a celebração da data em que |Deus destruiu nossos inimigos, e consolar todos os que choram, para cuidar das necessidades de todos os que sofrem em Sião e entregar a eles flores de esperança, em vez de cinzas, mensagem de alegria em vez de notícias de calamidade, um coração de louvor em vez de espírito angustiado.

Pr. Ricardo Agreste

Áudio: Conexão com o seu tempo 1 – https://www.youtube.com/watch?v=2sHIY0uxUa8

               Conexão com o seu tempo 2 – https://www.youtube.com/watch?v=cGKRQMHMc2U&feature=youtu.be