1. O mundo precisa de homens que não tenham medo de mudar

– Abraão tinha 65 anos quando saiu de Harã para a terra que Deus lhe mostraria. Não teve de mudar com essa idade. 
– “Então o Senhor disse a Abrão: “Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa de seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei. “Farei de você um grande povo, e o abençoarei. Tornarei famoso o seu nome, e você será uma bênção”. Gn 12.1-2
– Abrão tinha 100 anos de idade quando nasceu Isaque (Gn 21.5). Ter um filho é uma grande mudança. Ele não teve medo dessa mudança tampouco.
2. O mundo precisa de homens que sejam obedientes a Deus
– Quando Deus manda Abrão sacrificar o seu único filho, ele poderia ter dito algo como “Eu acho que entendi errado, Senhor!”. Mas ele não o fez. Obediência pode significar abrir mão do que há de mais precioso.
3. O mundo precisa de homens que ensinem seus filhos a ter fé
– Antes de mais nada, Abraão havia ensinado seu filho a ser obediente, pois mostrou isso ao ir, sem questionar, junto com seu pai. 
– Quando achou estranho o fato de não haver um animal para o sacrifício, Abraão o ensinou também a ter fé. “O Senhor proverá”, é a grande lição de fé daquele pai. Hoje há falta de homens que sejam os líderes espirituais dos seus lares.
4. O mundo precisa de homens atentos à voz de Deus
– Quando chega a hora no sacrifício, Deus chama por Abraão e o interrompe. Ele para com a faca em mãos. E se Abraão não estivesse atento à voz de Deus? 
– O mundo precisa de homens atentos à voz de Deus quando Ele manda fazer e quando Ele manda parar de fazer.
5. O mundo precisa de homens que entendam os planos de salvação de Deus
– Aquele momento é um ícone – um protoevangelho – do que aconteceria na cruz do Calvário. O cordeiro providenciado por Deus para morrer no lugar de Isaque, que representa o povo de Deus, é o Senhor Jesus Cristo. 
– Em Hebreus 11, o autor diz que o fato de Abraão descer daquele monte com o seu filho vivo é uma representação da ressurreição que todos os santos vão experimentar por causa do sacrifício de Jesus em nosso lugar.
Conclusão
– Abraão não era um homem perfeito. Ele errou muito! Mas no que ele acertou, como “pai da fé”, ele é o tipo de homem que o mundo precisa. 
– Que homens sejam assim, que as mulheres criem filhos assim, que as jovens busquem em seus futuros maridos qualidades desse tipo, não beleza física e dinheiro. 
– O mundo precisa de homens assim, o nosso país precisa de homens assim. A nossa igreja precisa de homens assim. 

Davi Liepkan