LUCAS 15:11 Na primeira hora de 2013 eu orei com minha esposa, com os meus filhos e pelos meus filhos, bem como irmãos, e na hora a seguir eu pensei em escrever um documento que denominei de “Carta Para Os Meus Filhos,” mas o que era para ser segredo e exclusividade familiar, resolvi passar aqui uns pedaços do mesmo. Embora não seja este conteúdo geral da Carta deixo algumas pepitas: 1. Não Quero Ser Um Bom Pastor e Mau Pai. Não Quero Pensar Que Ser Bom Pastor Me Torna Um Bom Pai…, Quero Assumir Que Devo Ser Bom Pai Tanto Quanto Me Esforço Em Ser Um Bom Pastor. 2. Para Pastor, Preciso de Vocação, Para Pai, Preciso de Coração…! Quero Entender Que Ser Pastor é Meu Ministério e Ser Pai é Minha Missão! 3. Para Ser Um Bom Pastor e Ser Um Bom Pai Não Posso Abrir Mão da Oração! 4. Deus Me Deu Uma Família Para AMAR e Dela Cuidar e Me Deu Uma Igreja Para Dela CUIDAR e Amar… 5. Cuidarei Para Jamais Ser Um Pai Permissivo e Repressor e Nem Um Pastor Manipulável e Manipulador! 6. Como Pastor, Nossa Vida é Medida Pelo Nível de Nosso Sucesso Ministerial, Como Pai, Nossa Vida é Medida Pelo Tempo e Nível de Entrega Aos Filhos, Como Pastor, é Determinante Nossa Unção (unção de Deus em nossa vida), Como Pastor é Determinante Nossa Presença…! 6. Um Sério Erro Dos Pastores: “Cuide de Negócios de Deus, da Igreja de Deus e Deus Cuidará da Tua Família!” O Erro Está Em: Deixar Nossas Responsabilidades Nas Mãos de Deus! Neste ano quero viver bem comigo mesmo determinado a ser um bom Pastor e um bom Pai. (Escrevo este artigo usando as primeiras letras de cada palavra em maiúscula para fins de ênfase!) NELE, Pr. J.B Luanda – Angola