Esboço da 1ª Palestra da Escola Intensiva de Missões – Missão SAEM 2015

Texto Bíblico: 1Tm 4.7 

Introdução: 

1.       1Tm 4.7 (NBV):“Não desperdice o tempo discutindo ideias tolas nem mitos e lendas absurdas. Gaste seu tempo e sua energia na prática de conservar-se espiritualmente apto.” 

2.       Caráter é a atitude, pose, postura, modo, maneira de uma pessoa. É piedade. 

3.       Todas as pessoas têm caráter: bom ou mau. 

4.       Diferença entre caráter e reputação. 

5.       Perfil: aspecto, representação. 

6.       Integridade: retidão, justiça, honestidade. 

I. O que é o caráter missionário: 

1.       É o caráter que reflete o caráter missionário da Bíblia: 

a)       (Gl 3.8): “Ora, tendo a Escritura previsto que Deus justificaria pela fé os gentios, preanunciou o evangelho a Abraão: Em ti, serão abençoados todos os povos.” 

b)       As promessas de Deus para Abraão são o prenúncio do evangelho, que concerne à promessa de bênção para todos os povos da terra que creem como Abraão creu. 

2.       É o caráter que reflete o caráter missionário de Deus: 

a)       (Gn 3.15):“Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” 

b)       Deus aqui é o próprio missionário, Aquele que anuncia as boas novas aos pecadores. 

c)       Esta é a primeira promessa de um enviado por Deus para tratar o pecado – proto-evangelho. 

3.       É o caráter que visa à glória de Deus: 

a)       (Rm 11.36):“Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém.” 

b)       Dar glória a Deus é a vocação de toda criatura, e constitui o maior alvo da nossa missão. 

c)       Cabe a nós fazermos esta glória conhecida pelo mundo inteiro, entre gentios e judeus. 

II. Como é forjado o caráter do missionário: 

1.       Dave Harvey: “Deus pega um homem comum, lapida seu caráter, dá-lhe graça, treina-o por meio de provações, enche-o de zelo e encurrala-o em suas circunstâncias. Depois, você tem um obreiro.” 

2.       Martinho Lutero: “Para se fazer um obreiro são necessários três coisas: oração, estudo da Palavra e tribulações.” 

3.       Primeiro, meditação

a)       (Js 1.8): “Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido.” 

A missão de Josué era conduzir o povo à terra prometida. 

Central para o cumprimento da missão é o desenvolvimento da fé por meio do conhecimento profundo das Escrituras e, por consequência, a prática e a exposição desse conhecimento. 

b)       (Ed 7.10):“Porque Esdras tinha disposto o coração para buscar a Lei do SENHOR, e para a cumprir, e para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus juízos.” 

A missão de Esdras tinha um cunho inteiramente religioso. Ele foi para a terra de seus pais a fim de instruir o povo sobre a Palavra de Deus. 

As características pessoais de Esdras são a chave para a vida de um missionário. Ele dedicou a estudara Lei do Senhor, mas não somente como uma fonte de sabedoria pessoal. Ele dispôs o seu coração a cumprir o que a Palavra de Deus estava ensinando a ele. Finalmente, ele se dispôs a ensinar aquela Palavra ao seu povo. 

4.       Segundo, oração: 

a)       (At 16.25):“Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, e os demais companheiros de prisão escutavam.” 

b)       A oração precede e sustenta missões. 

c)       Paulo e Silas oravam… A resposta da oração veio no terremoto que abriu as portas da prisão. 

5.       Terceiro, tribulação: 

a)       (At 16.25):“Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, e os demais companheiros de prisão escutavam.” 

b)       Mesmo presos, Paulo e Silas não deixaram de orar e cantar louvores a Deus – práticas missionárias elementares, e, assim testemunharam para os demais presos. 

III. Características do Caráter Missionário: 

1.       Conversão: o missionário, antes de qualquer coisa, é uma pessoa convertida, liberta, transformada, salva, etc. 

2.       Chamado: 

a)       (Jr 1.4-5):“A mim me veio, pois, a palavra do SENHOR, dizendo: Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações.” 

b)       A chamada de Deus é irrevogável e intransferível. Quando Deus chama, chama eficazmente. Ninguém entra na obra de Deus sem ser chamado e ninguém consegue sair da obra de Deus quando se é chamado. 

c)       Deus chama pessoas diferentes, em circunstâncias diferentes, em idades diferentes, para ministérios diferentes. A chamada divina não é fundamentada no mérito, mas na graça. 

3.       Santificação: 

a)       1Pe 1.15-16:“pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.” 

b)       O maior legado de um missionário é a sua fidelidade ao caráter piedoso e íntegro. 

c)       O obreiro lidera por meio de sua vida, bem como de seus lábios. 

d)       Integridade é mais importante que sucesso. Ilustração:O caso de Moisés. 

e)       A evidência de que alguém foi salvo é a santificação. 

4.       Compaixão: Vance Havner: “O principal requisito de um missionário não é, como temos ouvido tantas vezes, ter paixão pelos perdidos, mas ter amor por Cristo.”. 

5.       Compromisso: Ilustração “A galinha e o porco”. 

Conclusão e Aplicações: 

1.       Se você deseja ou faz missões esperando fama ou notoriedade, desista! Mas se o que comove o seu coração é algo mais do que o desejo de fazer algo que está na moda; se for um profundo amor pelos perdidos e, mais ainda, uma enorme paixão pela glória de Deus, então não perca tempo! Reúna uma equipe com os mesmos sentimentos e mãos à obra. 

2.       Os missionários são feitos por Deus para serem missionários. A chamada para missões não é questão de nossa escolha. Os missionários não escolhem ser missionários. Deus escolhe pessoas para serem missionários e os torna missionários de acordo com seu plano. 

3.       A convicção da chamada missionária conserva o missionário firme na rota. A convicção da chamada impede o missionário de ficar louco através de todos os altos e baixos da vida ministerial. 

4.       História contada por João Mordomo: “Quando o jovem missionário Trevor Ardill estava explicando o evangelho para pessoas de uma vila rural na Nigéria, o chefe foi até a frente da multidão e agarrou Ardill pela camisa: ‘Você diz que Deus tem um filho?’ – perguntou o homem, que continuou: ‘E este filho se tornou homem e morreu na cruz para me salvar do pecado?’ O missionário respondeu: ‘Sim. Exatamente isto!’ O chefe tribal fechou os punhos e exigiu: ‘Quando?’ – ao que Trevor respondeu: ‘Há mais ou menos dois mil anos atrás.’ O chefe exclamou, furioso: ‘Dois mil anos? E você só veio me contar agora? E como fica o meu pai? E meu avô? E toda a minha gente? Ninguém veio contar a eles!’ Trevor Ardill ficou mudo e triste.

“A igreja só é igreja quando o é para os de fora.” Dietrich Bonhoeffer

Autor: Luciano Paes Landim

Fonte: Blog do Pr Luciano Paes Landim